PDF sobre alice vieira: 1 a 10 de 824 arquivos da pesquisa em BuscaPDF [gl]

A Arca do Tesouro

books.google.com.br/books?id=UuNO1T1JaYIC&dq=alice+vi...
Alice Vieira (texto) Eurico Carrapatoso (música) Cesário Costa (direcção musical) João Fazenda (ilustrações) Luís Miguel Cintra (narração) «A Orquestra Metropolitana de Lisboa encomendou a Alice Vieira um pequeno conto para Eurico Carrapatoso musicar. Alice Vieira escreveu A Arca do Tesouro, um texto sóbrio e sábio, que se insurge contra esta coisa dos «relógios a mandar em toda a gente». E o compositor Carrapatoso foi capaz de fazer uma música simples, bela e comunicativa para a história de Maria e da sua caixa azul, uma caixa que «não serve para nada». Mas há-de servir... (...) A composição nunca se impõe ao conto: segue-o antes com atenção e vem um pouco mais à tona em breves momentos, suficientes para soltar a emoção de um texto tão escorreito e bem escrito.» Pedro Boléo, Público
Autoria: Alice Vieira
Publicado por Leya em 28/10/2013

Águas de Verão

books.google.com.br/books?id=KgQK4GNwjtQC&dq=alice+vi...
Águas de Verão é uma curta viagem ao passado. A narradora recorda a sua infância e a vida no seio de uma família muito tradicionalista, formal.Um dos romances mais poéticos de Alice Vieira, esta narrativa mostra como as ideias de respeito e de bom comportamento podem inquinar a alegria de viver, se impostas de forma rígida e como simples convenções.Apesar disso, os vários irmãos desta família problemática acabam por descobrir o sabor da alegria e o prazer do divertimento na personagem de um saxofonista bem-humorado com quem travam conhecimento num hotel de termas.
Publicado por Leya em 27/02/2012

A Lua Não Está à Venda

books.google.com.br/books?id=9Ejcvgr0bz8C&dq=alice+vi...
Dona Estrela (uma viúva) é proprietária do café Lua Cheia, ponto de reunião e convívio de diversas «figuras» das redondezas.Beatriz é professora. A sua história entrelaça-se com as histórias e sonhos de pessoas vulgares (adultos e jovens) que vivem no mesmo bairro lisboeta.Um livro sobre a solidão, mas também sobre a boa vizinhança e o único modo como as pessoas vulgares conseguem sobreviver: com a cabeça cheia de sonhos e projectos.
Autoria: Alice Vieira
Publicado por Leya em 05/02/2014

Caderno de Agosto

books.google.com.br/books?id=AbAAq5MYjikC&dq=alice+vi...
Glória, uma adolescente, fala-nos da sua família e dos seus problemas. O pai, um conhecido psiquiatra, divorciou-se da mãe e casou-se com uma mulher muito mais nova e bastante snob.A mãe, Luísa, é uma professora de História que está há muito tempo a escrever uma tese de mestrado sobre D. Maria II e é incapaz de a acabar.Ao mesmo tempo, um amigo editor pede-lhe que escreva um romance de amor, coisa que ela faz, parando sempre que ela própria se apaixona. Glória inclui no seu Caderno de Agosto o romance de amor da mãe (que afinal não será de amor...).Caderno de Agosto é um romance para jovens (a partir dos 13 anos) notavelmente escrito, que, uma vez começado, não se consegue poisar.Embora o livro esteja cheio de humor e diálogos divertidos, é também um retrato dos estilos de vida da pequena e média burguesias de Lisboa nos anos 90.
Publicado por Leya em 27/02/2012

Viagem à Roda do Meu Nome

books.google.com.br/books?id=IvRjh26zSEAC&dq=alice+vi...
Abílio detesta o seu nome e decide mudá-lo para Luís. A mudança de nome tem valor simbólico, mostra o instante em que Abílio entra em processo de crise, na busca de ser ele mesmo, diferente daquilo que dele queriam fazer.Uma viagem à terra dos seus antepassados reconcilia-o com a sua história e o seu nome.Este romance realista, de personagens bem delineadas, retrata a vida quotidiana e o mundo interior de um rapaz, utilizando a primeira pessoa em dois tempos de enunciação, e aborda com optimismo o complexo tema da identidade.
Publicado por Leya em 27/02/2012

Se Perguntarem por Mim, Digam que Voei

books.google.com.br/books?id=HiFCFr10CV4C&dq=alice+vi...
Se Perguntarem Por Mim Digam que Voei é talvez o livro em que a autora mais se distancia dos modelos narrativos a que o romance juvenil nos habituou.Das vidas das várias mulheres que constituem o núcleo das personagens principais, retém-se sobretudo o fim da adolescência e a idade adulta.Ao longo de sucessivas gerações e de cerca de quatro décadas, acompanha-se as ligações entre duas casas de província que servem de cenário à quase totalidade da acção.Trata-se de uma narrativa de alguma complexidade, tendo por base uma sucessão de nomes femininos cuja perfeita articulação só se torna perceptível já em fase avançada do relato. É um teatro de amores e desamores, de submissões e fugas, de frustrações, ressentimentos e preconceitos. Para algumas personagens, escapar à atmosfera sufocante desse mundo provinciano e fechado é tarefa impossível. O sonho, por vezes a morte, são as únicas saídas.
Publicado por Leya em 27/02/2012

Os Profetas

books.google.com.br/books?id=YLUp7vcYbJ0C&dq=alice+vi...
No ano de 1533, sendo rei D. João III, vivia na ilha de Porto Santo um homem chamado Fernão Nunes, por todos chamado Fernão Bravo. Na mesma ilha vivia uma sobrinha sua, moça de dezasseis ou dezassete anos, chamada Filipa Nunes, que estava havia alguns anos na cama, paralítica. Dizendo-se inspirados pelo Espírito Santo, tio e sobrinha declararam-se profetas. A sua pregação convenceu pobres e ricos, que renunciavam às suas vestes preciosas e partilhavam os alimentos, e até eclesiásticos, que na missa invocavam «São Pedro e São Paulo e o beato profeta Fernando». A heresia não podia ser tolerada. Após dezoito dias de «abusões» dos falsos profetas, os hereges foram presos e levados para a vila de Machico, sendo depois enviados para Évora. Fernão e Filipa foram aí expostos à porta da Sé, ela vestida e ele nu da cintura para cima, com um letreiro dizendo «Profeta de Porto Santo». Este é um facto histórico, que conhecemos pela pena de Gaspar Frutuoso e ainda hoje é bem recordado em Porto Santo. Com base neste facto histórico, Alice Vieira recria de forma vívida os antecedentes e os dias exaltantes da pregação, os tormentos e mortes infligidos pelas autoridades, e ainda a vida na Lisboa quinhentista, cidade cosmopolita e bela mas sobre a qual se adensam as nuvens da Inquisição e do desastre nacional. Fiel à História mas não ocultando simpatias, com a voz desassombrada e a mestria da escrita que unanimemente se lhe reconhecem, Alice Vieira oferece-nos em Os Profetas um romance histórico forte que não deixará de empolgar - e comover - os leitores.
Publicado por Leya em 27/02/2012

Trisavó de Pistola à Cinta e Outras Histórias

books.google.com.br/books?id=VHpNar6ysi0C&dq=alice+vi...
Um conjunto de 10 histórias muito diferentes umas das outras.Histórias deste nosso tempo de famílias complicadas, de programas de televisão que nos prometem felicidade para sempre, de avós trazidos para a grande cidade e que morrem de saudades das árvore do quintal, de heroínas familiares que de repente, se descobre não terem sido tão heróicas como isso, e de outro tipo de heróis para quem a escola se resume a meia dúzia de palavras bué da complicadas .
Publicado por Leya em 27/02/2012

Úrsula a Maior

books.google.com.br/books?id=PKB7ZA8bHjYC&dq=alice+vi...
"Maria João, de 14 anos, é filha de pais divorciados (o pai é um homem de esquerda, da classe média; a mãe vive para os seus sonhos domésticos e um pouco distante da realidade).O livro mostra a sua relação com os seus amigos da escola e o modo como ela constrói o seu próprio eu, observando criticamente as regras e valores dos pais.Maria João ajuda também a construir a personalidade de outra rapariga: Xuxu.Esta, filha de um aristocrata amigo da mãe, tem de percorrer um longo caminho para ganhar o direito ao seu próprio nome: Úrsula."
Publicado por Leya em 27/02/2012

2 histórias de Natal

books.google.com.br/books?id=oPixgNskuWEC&dq=alice+vi...
Autoria: Alice Vieira
Publicado por Leya em 23/05/2015
Detalhes sobre o arquivo: 34 páginas.
[1] 2345Mais
© 2015 BuscaPDF.com.br - Todos os direitos reservados