PDF sobre performativo: 1 a 10 de 283 arquivos da pesquisa em BuscaPDF

Desenho em ação: a poética gestual de inscrever performativos

issuu.com/yarapina/docs/yara_pina_desenho_em_acao...
Desenho em ação é uma pesquisa em poéticas visuais que envolve a inscrição de atos performativos no desenho. O performativo, cuja origem é a filosofia da linguagem, é explorado como repertório híbrido que abranje ações não só da linguagem, mas também da arte e do cotidiano.
Enviado por yarapina em 20/10/2010
Detalhes sobre o arquivo: 78 páginas.

YARA PINA. Desenho em ação: a poética gestual de inscrever performativos

issuu.com/yarapina/docs/tcc_com_imagens...
Desenho em ação é uma pesquisa em poéticas visuais que envolve inscrição de atos performativos no desenho. O performativo, cuja origem é a filosofia da linguagem, é explorado como repertório híbrido que abranje ações não só da linguagem, mas também da arte e do cotidiano.
Enviado por yarapina em 24/02/2012
Detalhes sobre o arquivo: 78 páginas.

A book of books

issuu.com/filipesantosgarcia/docs/abookofbooks...
Uma experiência primária sobre o paradoxo performativo na (re)construção de outras narrativas poéticas perto da fronteira do plágio formal.
Enviado por filipesantosgarcia em 01/11/2011
Detalhes sobre o arquivo: 154 páginas.

Arquivar - PRODvoarte

issuu.com/vo.arte/docs/dossier_arquivar_prodvoarte...
Arquivar promove um jogo de palavras e sintoniza a literatura, dança, a imagem, desenho e música com o espaço e a sua pulsação arquitectónica. Arquivar procura cartografar a arquitectura e o silêncio dos espaços. Arquivar contempla a participação activa do público, através de um forte envolvimento com o desenho e a escrita. Arquivar é um projecto de famílias para famílias, onde existe um eixo criativo a explorar entre pais e filhos. Existem famílias de letras e grupos de palavras que se juntam às sonoridades da escrita nos espaços. Arquivar aproxima o público dos criadores num acto performativo.
Enviado por vo.arte em 26/07/2011
Detalhes sobre o arquivo: 15 páginas.

A performance em espaços públicos a partir do mínimo gesto ou da ação simples

issuu.com/lucaspaz/docs/a_performance_em_espa_os_p_bl...
Este é um estudo acerca da crescente privatização do espaço público. É possível repensar a construção e manutenção do mesmo através de um viés artístico, para além de questões exploradas pelo urbanismo? Explora-se aqui a relação teórica e prática entre performance, mínimo gesto ou ação simples e espaços públicos com artistas e cidadãos através do desenvolvimento de ações artístico-performáticas que se fundem ao cotidiano por uma expressividade sutil. Se não encaradas como um ruído quase invisível, é possível que carreguem um efeito em potencial de estranhamento da realidade. Como promover experiências nos espaços públicos que apontem para um "valor de troca" não econômico, mas social? Como o mínimo e o simples no campo da arte podem atravessar a complexidade, a extravagância e o excesso da vida urbana espetacularizada? O material resultante desta pesquisa em artes cênicas, tangenciará algumas noções de arquitetura e urbanismo e da antropologia.
Enviado por lucaspaz em 19/05/2013
Detalhes sobre o arquivo: 461 páginas.

Princípios, Volume 02, Número 03, 1995

issuu.com/principios/docs/principios03...
Revista Princípios (Natal), UFRN
Enviado por principios em 22/11/2009
Detalhes sobre o arquivo: 174 páginas.

Revista Olhar nº22

issuu.com/revistaolhar/docs/olhar_22_site...
(Ano XII, nº22 / Jan-Jul 2010)
Enviado por revistaolhar em 03/04/2012
Detalhes sobre o arquivo: 288 páginas.
Tags: ufscar · cech · olhar · conhecimento

COLETIVOS ARTÍSTICOS BRASILEIROS: DISCURSOS E SUBJETIVIDADES POLITICAS

issuu.com/lunaser/docs/colectivosbrasileros_lunaser_p...
Reflexão sobre produções discursivas de três coletivos artísticos brasileiros que, atuando dentro do amplo campo das artes cênicas, se autodenominam “coletivos”. Me referirei aos coletivos como aqueles grupos que desenvolvem processos criativos e ações colaborativas, bem como discursos sobre condições e propósitos políticos de suas ações. O foco são as questões “políticas” relacionadas ao conceito de “coletivos”. As conclusões relacionam características do discurso desses coletivos com a literatura específica que se tem produzido sobre coletivismo e colaboração no campo artístico. O termo “coletivo” não aceita dicotomias, como arte X política, artista X pessoa comum, arte X vida, mas propõe a possibilidade de transitar entre diferentes propósitos e filosofias. Aceitar sua polissemia é não só requisito prévio a sua análise, mas também à compreensão das heterogêneas filosofias (ou da filosofia da heterogeneidade) que o caracterizam.
Enviado por lunaser em 25/04/2012
Detalhes sobre o arquivo: 238 páginas.

Filosofias da Comunicação

issuu.com/spescoladeteatro2/docs/20111220-santos_filo...
José Manuel Santos, Pedro M.S. Alves, Joaquim Paulo Serra (Orgs.) LabCom, 2010
Enviado por spescoladeteatro2 em 05/07/2012
Detalhes sobre o arquivo: 337 páginas.
Tags: comunica · ensaio

Uma Religião Chamada Brasil: estudos sobre religião e contexto brasileiro

issuu.com/iuriandreasreblin/docs/uma_religiao_chamada...
Trata-se da 2a edição (lançada exclusivamente em e-book) do livro publicado em 2008 pelo Núcleo de Estudos e Pesquisa do Protestantismo. Os textos que compõe a obra versam sobre o fenômeno religioso em suas múltiplas expressões, a relação entre teologia e política, direitos humanos, cultural, a questão do turismo religioso, da tensão entre religião e mídia, entre outros.
Enviado por iuriandreasreblin em 19/12/2012
Detalhes sobre o arquivo: 260 páginas.
[1] 2345Mais
© 2019 BuscaPDF.com.br - Todos os direitos reservados